Transitar ou não, pelo corredor! Eis a questão!

Trafegar com uma motocicleta pelo corredor formado entre os veículos pode representar uma tênue linha entre a vida e a morte do motociclista, se não forem tomadas algumas medidas de segurança. Com o crescente número da frota de veículos novos e as facilidades de financiamento para aquisição de um automóvel ou motocicleta, o trânsito já caótico das grandes cidades, começa a alcançar um caos sem proporções, levando o motorista a um grau de estresse considerável que coloca os nervos a flor da pele, frente a qualquer situação à sua frente.

A motocicleta, por sua finalidade, sempre foi considerada um meio de transporte ágil e econômico em meio aos engarrafamentos intermináveis. Em São Paulo, a terra do trânsito maluco e da correria diária, a moto se sobressai aos demais veículos, tornando-se um meio de transporte inquestionável para cumprir horários e locomover-se entre os milhares de veículos parados nos congestionamentos. Aliado ao fato de seu baixo preço e financiamentos tentadores houve uma explosão na venda de motocicletas. Mas há um contraponto nesta questão, como veremos a seguir.

Nunca houve em toda história do país, um número grande de pessoas mortas ou feridas envolvidas em acidentes com motocicletas. Se compararmos as taxas de vítimas entre motos e carros, a cada 100 acidentes, a taxa de vítimas entre motos atinge 71 pessoas, enquanto nos demais veículos chegam a sete pessoas feridas. Em São Paulo, a cada 10 acidentes registrados sete possuem motocicletas envolvidas. O número assusta e atrás destas estatísticas há um batalhão de mortos, mutilados e incapazes que, muitas vezes, se envolvem em sinistros ainda dentro da idade produtiva, entre 18 e 30 anos.

Páginas: 1 2 3 4

Pin It

6 comentários em “Transitar ou não, pelo corredor! Eis a questão!

  1. Espero que os legisladores, entendam que a questão de impedir motociclistas trafegarem nos corredores de carros, é simplesmente, paliativa. Não resolve nada, nem vai diminuir os acidentes envolvendos motos. Estes projetos relatados teriam que sair do papel. Quem mais causa os acidentes com as motos, não são os motociclistas, e sim, os motoristas, a maioria que comprou sua cartinha, achando que aquele documento é atestado de habilidade. Saem todos felizes para o transito caótico das cidades, com a certeza de que agora podem. Só o que eles aprendem e sabem fazer, é engatar as marchas e movimentar o carro para frente e muito mal para tráz, não fazendo nenhuma questão de colocar em prática (também nem leram sequer as cartilhas)tudo o que se transmite sobre direção em geral e defensiva.
    Eu sou motorista e motociclista, há 30 anos, e o que vejo no transito de hoje, comparando aos motoristas antigos, me dá até calafrios. Principalmente quando vejo as maiores barberages perigosíssimas que fazem todos os dias. E o coitado do motociclista, este sim, é um artista, pois vive, se desviando desta classe de motoristas que não estão nem aí para os outros carros, quanto mais com as motos.
    Então é isso. O motociclista de hoje, é vítima dos mais de 60% de maus motoristas que são jogados todos os dias no transito com suas cartinhas compradas.

  2. Até hoje, eu não acredito que uma lei que proíbe o motociclista de trafegar nos corredores das rodovias, foi aprovada. Toda vez que estou viajando de moto em uma rodovia e me deparo com um congestionamento à frente, como em todas as manhãs na chegada à São Paulo, pela Bandeirantes; fico totalmente transtornado, frustrado, irado, estressado, infeliz, triste, impotente e etc, por saber que estou com minha moto e poderia, tranquilamente chegar ao meu compromisso sem problemas trafegando como sempre foi natural pelo corredor, e por causa de um triste infeliz qualquer que inventou essa lei ridícula, tenho que ficar ali, ensopando na chuva, morrendo tiritando no frio, cozinhando embaixo de nossas roupas de segurança, num calor infernal, vendo os outros, talvez com uma certa irritação, mas no conforto de seus carros, ouvindo suas musicas, curtindo seu ar condicionado, batendo papo com a familia e/ou amigos.
    Politicos, essa lei, como uma grande maioria, é paliativa. Nunca vai fazer com que acidentes diminuam. O problema, como sempre digo, está na formação dos motoristas de carros. Eliminem de vez com a famosa compra da carta, exijam realmente que os candidatos mostrem habilidade em dirigir de verdade, não apenas engatando as duas primeiras marchas e fazendo uma balisazinha qualquer.
    Os motociclistas, pelo contrário, que são as vitimas destes barbeiros, têm que ser verdadeiros artistas e pilotos, para todos os dias se salvarem das atrocidades que estes ineptos realizam nas estradas.
    Dia desses estava eu na Anhanguera de moto. Calor infernal, 60 % a mais de caminhões do que carros. O transito parado, caminhões invadindo completamente faixa da esquerda, e eu, para não levar mais uma das 4 multas no corredor, fiquei ali, no meio daqueles monstros, soltando suas fumaças mortíferas em meus pulmões e aquele calor infernal vindo de suas máquinas, um monsto do lado, outro na frente e um atráz com suas narinas, olhos e bocas iradas me forçando a andar metro por metro, e quase encostando no monstro da frente, pensem nisso, se esse caminhão, sei lá me empurra para frente e me esmaga no outro. Isso é só um exemplo. Nossa cara, me deu uma vontade de ir para o canteiro e pedir socorro para alguma divindade qualquer, e pedir que ilumine a cabeça dos políticos e revoguem essa lei, que mais parece ter sido inventada por quem tem inveja de nos ver transitar livremente pelos corredores, porque, de prático para evitar acidentes, pelo amor de Deus, tem nada a ver. Ficou um pouco pior do que ja estava meus queridos correligionarios. Seria bom, se pelo menos, alguns de voces, pilotassem motos, para saber do que eu estou falando.

  3. Dia desses estava eu na Anhanguera de moto. Calor infernal, 60 % a mais de caminhões do que carros. O transito parado, caminhões invadindo completamente faixa da esquerda, e eu, para não levar mais uma das 4 multas no corredor, fiquei ali, no meio daqueles monstros, soltando suas fumaças mortíferas em meus pulmões e aquele calor infernal vindo de suas máquinas, um monsto do lado, outro na frente e um atráz com suas narinas, olhos e bocas iradas me forçando a andar metro por metro, e quase encostando no monstro da frente, pensem nisso, se esse caminhão, sei lá me empurra para frente e me esmaga no outro. Isso é só um exemplo. Nossa cara, me deu uma vontade de ir para o canteiro e pedir socorro para alguma divindade qualquer, e pedir que ilumine a cabeça dos políticos e revoguem essa lei, que mais parece ter sido inventada por quem tem inveja de nos ver transitar livremente pelos corredores, porque, de prático para evitar acidentes, pelo amor de Deus, tem nada a ver. Ficou um pouco pior do que ja estava meus queridos correligionarios. Seria bom, se pelo menos, alguns de voces, pilotassem motos, para saber do que eu estou falando.

  4. temos que faer algo, nao podemos ficar só reclamando, como eles medem a velocidade, e qual a distancia de segurança, o art 56 vetado, pode sim transitar em corredor, perguntei para uma policial rodoviario qual a distancia de segurança e ele disse: é a distancia segura, nem eles sabem explicar, ficam com uma prancheta só anotando as placas e depois sentam na viatura e passam tudo para o talão de multas e as vezes dividem com algum companheiro deles, isso é proibido fazer,esta multa tem que ser aplicada em caso de colisão pq ai sim deixaram de manter a distancia de segurança nao por passar outro veiculo no corredor.sou motoboy e ja tomei 4 tambem muita sacangem dos policiais rodoviarios. estou recorrendo ja pedi uma microfilmagem do auto de infraçao se nao estivar especificado a minha velocidade tenho grandes chanses de ganhar o recurso. abraços a todos.

  5. No dia 29.09.12 fui multado na rodovia 055, sentido Guarujá litoral norte , eu gostaria de saber como num simples olhar, o agente poderia determinar qual a distância que estava do carro ao lado, ou na frente, caso fosse dentro da cidade ficaria simples, bastava estar no corredor, já ficaria claro tal infração, da qual tenho lá minhas dúvidas pois desde que o motociclista andar numa velocidade compativel com o momento, não haveria risco, agora numa estrada com duas faixas de rolamento com o transito fluindo naturalmente, onde haveria o corredor? pois os veiculos estão quase todos andando numa velocidade semelhante, era um sabado as 8:30 horas da manhã, quase ninguem na estrada, outra coisa eu não vi nenhum policial rodoviário, a impressão que dá e que tal multa foi aplicada por algum agente que estava dentro de um automóvel particular e por algum motivo não gostou de ver um casal num dia ensolarado passeando com sua motocicleta, comprada com muito suor, pois enquanto nos pagamos por uma 250 cc o preço de uma 600 cc nos EUA ou Europa. Estamos num país onde o que vale é: voce sabe com quem esta falando? Lamentavel.

  6. Os maiores culpados dos acidentes envolvendo motos sao os proprios motorista de carros,caminhoes e onibus pois eles nao aprenderam a olhar para os lados so para frente,esse babacas se acham,mas na verdade è como eu sempre digo andar para frente ate minha filha de 4 anos faz,agora quero ver esses babacas sendo boleia na direçao,pois como pasadores de cola são bons motoristas.valeu

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


seis + 2 =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>