O carro movido à água

De tempos em tempos um antigo sonho de milhões de motoristas espalhados por todo o planeta, preocupados com o alto custo dos combustíveis, sempre ganha força e torna-se o centro das atenções no mundo automotivo: um veículo que se movimente com energia barata e de baixo impacto ambiental.  O assunto da vez se refere ao veículo movido à água e ganhou projeção nas mãos de um cientista paquistanês que, em setembro de 2012, jurou ter inventado um veículo que se locomove tendo como “combustível” a água.

O engenheiro paquistanês Agha Waqar Ahmed virou uma herói em seu país ao afirmar ter feito uma descoberta que poderia acabar com a dependência mundial de petróleo através da utilização de motores que funcionam a base de água. De acordo com a revista Time, Ahmed teria demonstrado seu invento para uma plateia de mais de 100 oficiais do governo, engenheiros e jornalistas, na capital Islamabad. Segundo Ahmed, a água ativaria o motor de um veículo através do processo de eletrólise, pelo qual uma corrente da bateria passa através da água destilada, cheia de eletrólitos, separando o hidrogênio do oxigênio. Neste caso, o hidrogênio isolado seria o responsável pelo acionamento do motor. O anúncio do invento foi recebido com desconfiança pela comunidade científica mundial, pois segundo os cientistas, seu funcionamento contraria as leis da física. A energia usada para separar o hidrogênio da água seria a mesma ou até maior do que a que chegaria ao motor tornando inverossímeis as afirmações de Agha.

Casos de fraude que ganharam repercussão no mundo
A eterna busca por inventos que propiciem o funcionamento de motores com produtos baratos e abundantes na natureza sempre causou fascínio entre inúmeros cientistas espalhados pelo mundo. Este fascínio gerou um incontável número de casos de fraudes que ganharam repercussão mundial. Um exemplo clássico na história automotiva ocorreu em 1916, nos Estados Unidos, quando Louis Enricht anunciou que havia desenvolvido um composto barato que, quando adicionado à água, poderia mover um veículo. Sua demonstração ocorreu em Long Island e parecia um truque de mágica. Enricht pediu que jornalistas examinassem o carro em busca de tanques adicionais, depois que trouxessem um balde de água.

No balde ele adicionou uma substância esverdeada, e depois despejou a água e a solução no carro. O carro funcionou com a mistura, exalando um aroma de amêndoas pelo escapamento. Seu invento logo ganhou repercussão e chamou a atenção de Henry Ford, um dos maiores empresários do setor automotivo americano. Logo a farsa foi descoberta. Suas demonstrações utilizavam acetileno. A combinação acetileno e água são capazes de mover um motor de combustão, mas gera acentuada corrosão e desgaste do motor. Enricht foi condenado por estelionato e passou sete anos na cadeia.

O invento de Minnesota (EUA)
Em 2006, cientistas da Universidade de Minnesota (EUA) dizem ter criado um motor capaz de se locomover apenas com água e um elemento químico chamado Boro. O mineral tem o poder de quebrar o H2O, liberando hidrogênio puro a partir da água que você põe no tanque. O boro, neste processo químico, se desgasta rápido, mas segundo Tareq Abu-Hamed, líder do grupo que desenvolve o projeto, pode ser reciclado infinitas vezes e voltar para o motor refazendo o processo. O invento de Minnesota tem amparo científico, pois o boro pode converter H2O em hidrogênio para o motor. Segundo a pesquisa, a água vai do tanque para um reservatório cheio de boro em pó. Esse elemento tem a capacidade natural de “sugar” o oxigênio da água. O hidrogênio vai para o motor, onde pode ser queimado como se fosse gasolina ou virar fonte de energia elétrica. No interior do motor, o hidrogênio se combina com o oxigênio do ar produzindo energia. O resultado desta energia é a geração de água que acaba saindo pelo escapamento em forma de vapor. Conforme o boro vai tragando oxigênio da água, ele se transforma em óxido de boro. Na produção de hidrogênio, cada 45 litros de água podem consumir até 18 quilos do minério. O projeto ainda é experimental e vai demorar algum tempo para ser testado em escala industrial.

O invento japonês
Em 2008, uma empresa japonesa, a Genepax, anunciou o desenvolvimento do primeiro veículo movido à água. Segundo a empresa, o protótipo H2O Power funciona totalmente a água e a ar. A Genepax explicou as tecnologias utilizadas no seu novo sistemas de células de combustível, que utiliza a água como fonte de energia. O sistema gera energia através do fornecimento da água e do ar para o ar, produzindo hidrogênio. O combustível passa por eletrodos, que contém um material capaz de discriminar a água em hidrogênio e oxigênio através de uma reação química. O anúncio, de acordo com o site oficial da empresa, vai revolucionar a indústria automotiva com veículos capazes de se locomoverem por uma hora, a uma velocidade de até 50 Km/h, com apenas 1 litro de água. A comunidade científica recebeu a notícia com enorme desconfiança, pois o projeto não foi plenamente aberto aos cientistas deixando dúvidas acerca do funcionamento da invenção.

Apesar da desconfiança geral acerca do assunto, acreditar que um dia um motor pode funcionar com água desperta fascínio em todos e mobiliza cientistas na busca de respostas que possam proporcionar mais conforto e economia, além contribuir com a diminuição da emissão de gases tóxicos ao homem e ao meio ambiente. Talvez demore um pouco para que estas questões tenham sua resolução, mas em se tratando da engenhosidade humana que, em 50 anos, conseguiu ir até a lua ou obter avanços impressionantes na área da medicina, a descoberta de fontes limpas e baratas de energia é questão de tempo.

Pin It

2 comentários em “O carro movido à água

  1. Realmente acredito ser a melhor revista brasileira no que tange a abordagens de temas sobre veículos, condutores, legislação de transito, como Resoluções, Portarias etc… Parabéns vocês realmente conhecem o assunto. Abraço Bellini

  2. FRANCISCO CAMPOS NETO 30 de junho de 2015 at 11:19 -

    EM VITORIA ESPIRITO SANTO, O SR. ROBERTO DE SOUSA, ESTÁ DESENVOLVENDO UM MOTOR MOVIDO A AGUA ONDE O MESMO SEPARA O HIDROGÊNIO DO OXIGÊNIO. E O CARRO RODA ATÉ 2000 KILOMETROS COM UM LITRO DE AGUA. VOCÊS SABEM DISSO

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


+ 3 = cinco

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>