Transporte de madeira em veículos de carga

Transporte de madeira em veículos de carga

Transporte de madeira em veículos de carga

Para a realização do transporte de toras e madeira bruta, de pequenos ou grandes diâmetros e comprimentos, os proprietários de caminhões devem seguir as recomendações contidas na Resolução do CONTRAN 196/06. De acordo com a norma é considerada tora a madeira bruta com comprimento superior a 2,50 metros devendo ser transportada no sentido longitudinal do veículo, com disposição vertical ou piramidal (triangular). A contenção das toras dispostas verticalmente em relação ao veículo deve seguir as seguintes recomendações:

  • Painéis dianteiro e traseiro da carroçaria do veículo, exceto para os veículos extensíveis, com toras acima de oito metros de comprimento, para os quais não serão necessários painéis traseiros;
  • Escoras laterais metálicas, perpendiculares ao plano do assoalho da carroçaria do veículo (fueiros) sendo necessárias 2 (duas) escoras de cada lado, no mínimo, para cada tora ou pacote de toras;
  • Cabo de aço ou cintas de poliéster, com capacidade mínima de ruptura à tração de 3.000 kgf tensionadas por sistema pneumático auto-ajustável ou catracas fixadas na carroçaria do veículo;

Para o transporte de toras dispostas no sentido longitudinal do veículo, com disposição piramidal, seguem as seguintes recomendações:

  • Painel dianteiro com largura igual à da carroçaria do veículo;
  • Fueiros (escoras) laterais, perpendiculares ao plano do assoalho da carroçaria do veículo, com altura mínima de 50cm (cinqüenta centímetros) reforçados por salva-vidas, sendo necessário, no mínimo, 2 (dois) conjuntos de fueiros/salva-vidas por tora inferior externa, de cada lado da carroçaria;
  • Carga acondicionada em forma piramidal (triangular) conforme figuras do anexo desta Resolução;
  • Carga fixada à carroçaria do veículo por cabos de aço ou cintas de poliéster, com capacidade mínima de ruptura à tração de 3.000kgf tensionadas por sistema pneumático auto-ajustável ou catracas fixadas na carroçaria, sendo necessários, no mínimo, 2 (dois) cabos de fixação por tora;
  • A camada superior de toras deve ter distribuição simétrica em relação à largura da carroçaria;
  • As toras de maior diâmetro devem estar nas camadas inferiores;
  • Cada uma das toras das camadas superiores deve estar encaixada entre 2 (duas) toras da camada imediatamente inferior.

Para as Combinações de Veículos de Cargas (CVC) a colocação dos painéis é obrigatória somente na extremidade dianteira da unidade ligada ao caminhão-trator e traseira da última unidade. As madeiras brutas com comprimento igual ou inferior a 2,50 metros devem ser transportadas no sentido longitudinal sobre a carroçaria do veículo obedecem as seguintes regras:

  • Painéis dianteiro e traseiro da carroçaria do veículo;
  • Escoras laterais metálicas (fueiros) perpendiculares ao plano do assoalho da carroçaria do veículo, sendo necessárias 2 (duas) escoras de cada lado, no mínimo, para cada unidade ou pacote de madeira bruta;
  • Cabos de aço ou cintas de poliéster, com capacidade mínima de ruptura à tração de 3.000 kgf, tencionadas por sistema pneumático auto-ajustável ou catracas fixadas na carroçaria.

Para o transporte de madeira bruta no sentido transversal, a carroçaria do veículo deve ser dotada dos seguintes sistemas:

  • Fechamento lateral completo: guardas laterais fechadas e guardas ou fueiros dianteiros e traseiros para evitar o deslocamento da carga; cabos de aço ou cintas de poliéster, com capacidade mínima de ruptura a tração de 3.000 kgf, tencionadas no sentido longitudinal da carroçaria, por sistema pneumático auto-ajustável ou catracas fixadas na carroçaria.
  • Fechamento lateral parcial: guardas laterais; cantoneiras de metal, conforme especificado no Anexo 4, em toda extensão da carga; cabos de aço ou cintas de poliéster, com capacidade mínima de ruptura à tração de 3.000 kgf, tencionada no sentido longitudinal da carroçaria, por sistema pneumático auto-ajustável ou catracas fixadas na carroçaria; utilização de uma cinta ou cabo de aço com capacidade mínima de ruptura à tração de 3.000 kgf, por cantoneira, a cada dois metros de comprimento desta, posicionado no sentido transversal da carroçaria, tencionada por sistema pneumático auto-ajustável ou catracas fixadas na carroçaria;
  • Sem fechamento lateral: cantoneiras de metal em toda a extensão da carga; cabos de aço ou cintas de poliéster, com capacidade mínima de ruptura à tração de 3.000 kgf, tencionada no sentido longitudinal, por sistema pneumático auto-ajustável ou catracas fixadas na carroçaria; utilização de uma cinta ou cabo de aço com capacidade mínima de ruptura à tração de 3.000 kgf, por cantoneira, a cada dois metros de comprimento desta, posicionados no sentido transversal da carroçaria, tencionado por sistema pneumático auto-ajustável ou catracas fixadas na carroçaria.

A falta, defeito ou inobservância às especificações contidas na Resolução 196/06 do CONTRAN sujeita o proprietário às sanções administrativas previstas nos artigos 230 inciso IX ou X do CTB (Código de Trânsito Brasileiro).

Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


quatro × = 28

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>